domingo, 1 de abril de 2018

Irisdiagnose e terapias naturais em Salvador/BA - Iridologia


Mauro de Almeida – Iridologia

Ordem dos Profissionais Integrativos em Saúde no Brasil
Terapeuta: OPISB – 436

Práticas terapêuticas: Fitoterapia, Homeopatia e Florais de Bach.

 

Está oficialmente disponível, na cidade de Salvador/BA, os atendimentos com a avaliação da Íris (iridologia) bem como as indicações terapêuticas concernentes às patologias (doenças) observadas ou apresentadas.

O atendimento será possível por meio de agendamento prévio. O número para contato está à disposição em AGENDAMENTO/CONTATO, disposto no MENU acima. 

Nosso serviço de atendimento tem como lema ‘OMNIBUS’ (para todos), e visa dar oportunidade de acesso às terapias a toda pessoa – sem exceção – desejosa de cura, a partir dos tratamentos naturais.

Aos que desejarem, favor seguir as instruções contidas no contato!



Entenda sobre nossa técnica de avaliação abaixo!!!


Você sabe o que é Iridologia ou irisdiagnose?

A iridologia, ou irisdiagnose, é um método seguro, e cientificamente provado, de diagnóstico realizado através da observação da íris, uma das estruturas mais complexas do corpo humano.

A análise da íris se dá através de um mapa de zonas onde durante anos de estudo e pesquisas pode-se registrar com precisão as áreas da íris correspondentes aos órgãos do corpo e com isso, ao se efetuar uma avaliação minuciosa destas regiões, é possível encontrar qual órgão pode estar apresentando algum tipo de debilidade.

Através da análise da íris, é possível fazer um check-up do estado de saúde, descobrindo eventuais desequilíbrios. O corpo transmite à íris, através de sinais, marcas, alterações de cor e de padrões, um quadro clínico físico e/ou emocional do indivíduo. Uma técnica holística que permite “olhar para dentro do corpo” e verificar o funcionamento do organismo, descobrir quais as zonas mais fortes e quais aquelas que estão sobrecarregadas com toxinas. Porém, importa esclarecer que a análise iridológica não determina se uma pessoa sofre de determinada doença, mas alerta para a existência de alguma instabilidade ou inflação nesse órgão. 

A análise da íris apresenta-se, acima de tudo, como um método de diagnóstico precoce e de prevenção, revelando a origem do mal-estar físico, psíquico ou emocional. Os praticantes desta técnica utilizam "mapas da íris" ou "cartas topográficas" que dividem a íris em zonas que estão relacionadas a partes específicas do corpo humano. Este é um exame indolor e não invasivo, apenas é necessário tolerar a luz intensa nos olhos.

Este exame avalia as lacunas da íris. Estas lacunas aparecem na íris como pequenos buracos, covas onde as fibras da íris se separam. Basicamente, quando se observa uma lacuna na íris, pode-se concluir que já existiu ou existe um problema na parte do corpo correspondente a essa lacuna. 

Através da cor e da profundidade da lacuna consegue-se determinar em que estádio se encontra. O corpo reage a estas lacunas, aumentando a circulação de sangue e linfa no tecido irritado. Quando o sangue e a linfa não consegue chegar ao tecido afetado, os órgãos começam a atrofiar, as lacunas começam a aparecer mais profundas afetando a segunda parte da íris.

OBS.: O percentual de acerto numa avaliação iridológica é de 80 a 90%, as restantes da margem de erro podem (raramente) ser equivocadas com os traumas adquiridos ao longo do tempo e ser confundidos como ‘sinais evidentes’ de patologia orgânica.




Entenda sobre as Terapias abaixo!!!


Você sabe o que é a Fitoterapia?

A Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações na prevenção e/ou cura das doenças.

As plantas medicinais são aquelas capazes de aliviar ou curar enfermidades e têm tradição de uso como remédio em uma população ou comunidade. Para usá-las, é preciso conhecer a planta e saber onde colher e como prepará-la.

Quando a planta medicinal é industrializada para se obter um medicamento, tem-se como resultado o fitoterápico. O processo de industrialização evita contaminações por microrganismos, agrotóxicos e substâncias estranhas, além de padronizar a quantidade e a forma certa que deve ser usada, permitindo uma maior segurança e eficácia de uso.

Os fitoterápicos industrializados devem ser registrados na ANVISA/Ministério da Saúde antes de serem comercializados.



PORQUE UTILIZAR FITOTERAPIA COMO UMA FORMA DE TERAPIA COMPLEMENTAR?

Cada planta possui vários constituintes químicos e podem produzir alguns efeitos no nosso organismo.

Vários compostos possuem efeitos similares e a associação destes compostos aumentam esses efeitos. A isso denominamos efeito sinérgico dos medicamentos. Por exemplo, no efeito analgésico da Cróton urucurana, planta popularmente utilizada no tratamento da dor e inflamação, foram isolados em laboratório catequinas e galocatequinas do extrato desta planta, as quais exercem efeito analgésico em camundongos. Porém, isoladamente, foram muito menos potentes do que a sua totalidade de frações.

O efeito analgésico de C. urucurana se deve a uma associação de vários fitoconstituintes, incluindo campesterol, stigmasterol, β-sitosterol, ácido acetil-aleuritólico, catequina, galocatequina e glicosídeo do β-sitosterol. Os compostos isolados, apesar de se encontrarem em concentrações baixas, atuam em sinergismo, provavelmente através do mesmo mecanismo de ação ou por mecanismos diferentes.
Outro fitoterápico, Ginkgo biloba, tem cerca de 20 substâncias ativas que respondem juntas pelo efeito terapêutico, sem a totalidade simultânea das quais, o mesmo efeito não se alcança na plenitude.

Outra vantagem é a associação de mecanismos por compostos agindo em alvos moleculares diferentes, por exemplo, a Serenoa repens no tratamento da hiperplasia benigna de próstata. Este fitoterápico apresenta compostos que agem inibindo a atividade da 5α-redutase, impedindo a formação da Diidrotestosterona. Este fitoterápico apresenta também compostos que agem possivelmente inibindo a ciclooxigenase ou lipoxigenase, reduzindo o processo inflamatório. Além de compostos que agem como antagonistas de receptores na suprarrenal e bloqueadores de cálcio que explicariam seu efeito benéfico sobre o trato urinário permitindo uma micção mais livre.

Considerando que os compostos ativos se apresentam em concentrações reduzidas nas plantas, são muito menores os riscos de efeitos secundários não desejáveis (a depender da planta).

PASSOS PARA A CURA (em Fitoterapia):

1. Seguir as recomendações de uso;

2. Observar o uso do mg (miligrama) correto correspondente ao tratamento;

3. Não ultrapassar o tempo recomendado, quanto ao uso do medicamento fitoterápico.



Você sabe o que é a Homeopatia?

A homeopatia é o método terapêutico que consiste em prescrever ou indicar a um doente, sob uma forma diluída e em pequeníssimas doses, uma substância que, em doses elevadas, é capaz de produzir num indivíduo sadio sinais e sintomas semelhantes aos da doença que se pretende combater. Este método foi criado, no fim do século XVIII, pelo médico alemão Dr. Samuel Hahnemann 1755 - 1843.

A homeopatia é orientada por quatro princípios: lei dos semelhantes, experimentação na pessoa sadia, doses infinitesimais e medicamento único.

O princípio da lei dos semelhantes estabelece que uma doença específica pode ser curada pela substância capaz de reproduzir os mesmos sintomas da doença. Ou seja: o que causa mal a alguém “saudável” pode curar alguém doente. Se um veneno produz efeitos como vômitos em uma pessoa, a versão homeopática (diluída) desse mesmo veneno poderá tratar pacientes com problemas de vômitos recorrentes, e assim por diante.

A experimentação na pessoa sadia dita que os testes de medicamentos homeopáticos devem ser realizados em pessoas – nunca animais – saudáveis. Dessa maneira, é possível avaliar os efeitos objetivos e subjetivos no grupo de experimentadores (como são chamados) e encontrar, em termos gerais, o “veneno que em doses homeopáticas cura”.

As chamadas doses infinitesimais consistem na diluição drástica de um medicamento e agitação (dinamização) para “despertar” propriedades latentes. Esse princípio causa controvérsias, porque, de acordo com muitos médicos, desafia qualquer lei da física ou bioquímica conhecida: de tão diluído o remédio, é possível que não haja nenhuma molécula mensurável do princípio ativo original. Alguns experimentos, no entanto, indicam que fenômenos ainda incompreendidos da física quântica poderiam explicar a eficácia dos medicamentos homeopáticos.


CURIOSIDADES

Muitos pacientes observam que o início do tratamento homeopático parece agravar os sintomas de uma doença. Isso pode ocorrer, já que o medicamento homeopático pretende provocar no organismo uma doença artificial semelhante à doença natural, para estimular o organismo a corrigir o desequilíbrio. Entretanto, se os sintomas se tornarem graves, é sinal de que o medicamento homeopático está tendo uma ação excessiva e prejudicial ao corpo.

Luc Montagnier, virologista francês responsável pela descoberta do HIV, afirmou que o DNA de algumas bactérias pode deixar “marcas” na água, mesmo após sucessivas diluições. Uma espécie de “ressonância” faria com que modificações da estrutura da água emitissem sinais eletromagnéticos para outras soluções aquosas.

A teoria de “memória da água”, como é chamada, não foi comprovada pela metodologia científica, mas é frequentemente associada por alguns aos fenômenos da física quântica que explicariam a eficácia dos remédios homeopáticos.

Samuel Hahnemann é considerado o “pai da homeopatia”. Nascido em 1755, se formou em medicina pela Universidade de Leipzig, mas se decepcionou com os métodos que visavam a cura na época. Inspirado em métodos utilizados por nativos peruanos para o tratamento de doenças, deu início aos primeiros experimentos que o levariam a criar a homeopatia.

PASSOS PARA A CURA (em Homeopatia):

1. Guardar adequadamente o medicamento homeopático;
(evitar o contato do medicamento com eletromagnéticos)

2. Observar a forma correta de uso, segundo a recomendação;

3. Ter disciplina quanto a observância dos horários de tomada do medicamento homeopático;

4. Ficar atento(a) quanto às ‘mudanças’ ocorridas no corpo (organismo) ou comportamento durante o uso do medicamento homeopático;

5. Nunca repetir ou suspender por conta própria o medicamento homeopático sem o aval do profissional (médico ou terapeuta). 

Obs.: Em alguns casos a medicação precisará de ajustes. 



Você sabe o que são os Florais de Bach?

As essências florais são extratos líquidos naturais e altamente diluídos de flores, plantas e arbustos, que se destinam ao equilíbrio dos problemas emocionais. O objetivo da terapia floral é o equilíbrio das emoções do paciente buscando a consciência plena do seu mundo interior e exterior.

Os Florais de Bach buscam chegar à raiz dos problemas e erradicar a causa dos desequilíbrios. São indicados através da análise das características da personalidade e do quadro emocional que o paciente apresenta.

Existem 38 remédios no sistema floral de Bach. Todos foram descobertos entre os anos 20 e 30 do século passado pelo Dr. Edward Bach, famoso medico, bacteriologista e patologista.

Cada um de seus remédios está associado a uma emoção humana básica. Mimulus, por exemplo, representa o tipo de emoção sentida quando estamos ansiosos ou com medo de algo em particular. Tomar esse remédio nos ajudará a ultrapassar nosso medo e a encontrar a coragem necessária para enfrentar esse medo específico.

Dr. Bach concebeu o sistema floral com o objetivo de ser, acima de tudo, simples. A princípio poderá parecer assustador, mas qualquer pessoa pode aprender a utilizá-lo e nesse site você encontrará tudo o que precisa para começar a utilizar os florais.

A maioria dos remédios é vendida em concentrados líquidos e o conceito dessa terapia é que misturando os remédios apropriados, você possa encontrar uma fórmula que corresponda ao estado emocional do momento.

Tal como Dr. Bach, acreditamos que a cura do plano emocional tem efeitos benéficos e consequência em outros níveis: uma vida emocional sã e uma personalidade equilibrada permitirão ao corpo encontrar seu estado de saúde e bem-estar natural.

Na medida em que o organismo vai sendo harmonizado como um todo, os sintomas vão gradativamente desaparecendo. São 38 remédios que constituem um complexo sistema de cura. Cada planta foi escolhida especificamente pela sua capacidade de tratar a mente.

PASSOS PARA A CURA (com os Florais de Bach):

1. Guardar adequadamente o remédio floral;
(evitar o contato do medicamento com eletromagnéticos)

2. Ter disciplina na tomada do remédio floral; 

3. Seguir a forma indicada de uso;

4. Ficar atento(a) quanto às ‘mudanças’ ocorridas no corpo (organismo) ou comportamento durante o uso do remédio floral;

5. Retornar ao profissional quando orientado, pois poderá haver ajustes dos remédios florais.


_______________________________


 ______________________________________

“Na verdadeira cura, o nome e a natureza da doença física não tem qualquer importância. A doença do corpo é apenas o resultado da desarmonia entre a mente e a alma”  Dr. Bach


Dado no Ano da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2018
em 06 de maio, VI Domingo da Páscoa - Celebração votiva de Santa Hildegard.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...